Conheça 10 palavras que desapareceram da língua portuguesa

Você já ouviu falar em chumbrega? E em um quiprocó? Conheça 10 palavras da língua portuguesa que não são mais faladas no cotidiano e entenda por que elas caíram em desuso.

As palavras, assim como tudo na vida, passam por diversas transformações. Você já deve ter ouvido falar que antes se dizia “vossemecê” ao invés de “você”, por exemplo. Mas, por que algumas palavras caem no esquecimento popular? Para entender e buscar exemplos, a Universia Brasil conversou com o professor Cláudio Claus, do Cursinho da Poli, de São Paulo.  Segundo o professor, isso acontece porque a língua se adapta às necessidades da sociedade. “A língua é viva. Ela é a expressão da sociedade de uma época, portanto conforme os hábitos e costume dessa sociedade mudam, ela também muda”, explicou. “A ideia a ser transmitida é a mesma, o que muda é a palavra usada para expressá-la. É por isso que existem expressões antigas e novas para coisas que tem o mesmo significado”, disse o professor.

E as palavras de hoje em dia devem desaparecer? O professor explica que algumas sim, especialmente os pronomes de tratamento. “Pouca gente usa hoje em dia os pronomes de tratamento mais formais, como ‘vossa senhoria’ e ‘vossa excelência'”, afirmou. Porém, essas palavras e expressões podem reaparecer a qualquer momento mesmo depois de ficarem esquecidas. “Assim como resgatamos a moda, podemos resgatar palavras e atribuir a elas novos significados”, concluiu.

Confira agora 10 exemplos de palavras que caíram no esquecimento popular:

1 – Quiprocó
Não faz ideia do que isso significa? Saiba que você provavelmente já passou por uma situação de quiprocó: a palavra significa “confusão”, por exemplo, “Hoje eu vi um quiprocó no mercado”.

2 – Chapoletada
A palavra chapoletada era mais usada em expressões como “vou lhe dar uma chapoletada”, que significa o mesmo que dizer que você vai bater em alguém.

3 – Fuzarca
Fuzarca era um termo bastante usado para falar sobre bagunça. Por exemplo: “As crianças fizeram uma fuzarca na sala!”.

4 – Chumbrega
Achou alguma coisa feia ou estranha? O que hoje você chama de cafona, a sua avó chamava de chumbrega durante a juventude.

5 – Sirigaita
Sirigaita é uma das piores ofensas que uma moça do século passado poderia ouvir. Ao chamar uma mulher de sirigaita, uma pessoa queria dizer que ela era mal-educada e tinha atitudes constrangedoras. O professor Claus completa: “existia ainda a palavra ‘lambisgoia‘, que seria o equivalente ao que hoje muita gente chama de ‘piriguete‘”, afirmou.

6 – Supimpa
Se algo está supimpa significa que está muito bom. Supimpa, não é?

7 – Marmota
Antigamente, quando alguém ficava desconfiado de algo dizia coisas do tipo “tem marmota aí”, ou seja, “tem algo de estranho nessa história”.

8 – Carraspana
Saiu pra beber com os seus amigos a noite toda e só voltou de manhã? Nesse caso, você viveu o que antes se chamava de uma carraspana e hoje é conhecido apenas como uma bebedeira mesmo, ou, como o professor Claus completou, como “manguaça“.

9 – Ceroula
“Ceroulas eram aquelas cuecas compridas, que iam até abaixo dos joelhos, usadas pelos homens para que o tecido das calças não subisse”, explicou o professor Claus.

10 – Safanão
Você já levou um safanão da sua mãe? Talvez a sua resposta seja sim. Segundo o professor, um safonão é o ato de puxar o braço de uma pessoa para dar uma bronca, tal como as mães costumam fazer.