Qualidade é possível, sim. Resultados, também

A Escola Estadual Carlos Maximiliano Pereira dos Santos alcançou o melhor desempenho da rede estadual de São Paulo no mais recente Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Localizada no bairro da Vila Madalena, Zona Oeste da cidade, a MAX como é chamada pelos estudantes, está a apenas 0,2 ponto da meta que havia sido estabelecida para daqui a cinco anos. O sucesso tem uma receita e é sobre ela que o diretor da unidade, Antônio Roberto Ramos, escreve abaixo:

“QUALIDADE no ensino público é possível sim, desde que atrelada a alguns princípios básicos. Primeiro, uma equipe engajada e disposta a aprimorar incansavelmente todos os aspectos didáticos; segundo, o apoio e a participação de famílias preocupadas com a aprendizagem e a formação de suas crianças; e ainda – tão importante quanto os itens anteriores – a conscientização e a determinação dos estudantes, desde muito cedo, em pensar e agir sobre seus ‘Projetos de vida’.

Conversar sobre o conceito de ‘Projeto de Vida’ com alunos de 11 a 14 anos pode parecer utópico, mas a Escola Estadual Carlos Maximiliano encontrou esse caminho. Os primeiros passos começam com acolhimento, os alunos constroem  o que chamamos de um “Varal de Sonhos”. E a caminhada nesse sentido é a elaboração do que cada um deseja para o futuro. Esses “sonhos” e projetos servem de base para o professor construir disciplinas eletivas das quais o aluno participará com duas aulas semanais. Essas disciplinas com variabilidade didática estão atreladas ao Currículo Oficial do Estado de São Paulo e servem como estímulo extra à aprendizagem. Por meio dessas aulas, o estudante começa a perceber que o aprendizado é uma ferramenta importante e indispensável para a realização de seus planos.

Nossa Escola vem num crescimento significativo nos Resultados educacionais, tanto no IDESP, quanto no IDEB. O último resultado do IDEB aponta a Escola com a nota 5,8 – melhor resultado das Escolas Estaduais da Grande São Paulo – a apenas 2 décimos da Meta 6.0, estipulada para 2021 .

Os bons resultados – Refletir sobre essa ascensão, de 3,0 em 2009, 4,2 em 2011, 4,9 em 2013  e 5,8  em 2015, é avaliar os fatores que contribuem para esse avanço:  a  formação dos professores e a tutoria acadêmica do estudante. Nosso aluno é visto e cuidado de forma individualizada.  Cada membro da direção, cada professor tem sob sua responsabilidade um grupo de 16 a 17 alunos.  O atendimento individualizado é feito  durante o mês e,  a cada bimestre, em reuniões de tutoria coletiva, com pauta orientada  para a melhoria da escola e da aprendizagem.

A tutoria começa acadêmica: ensina, por exemplo, o aluno a refletir sobre suas dificuldades de aprendizagem, a buscar caminhos de estudo em casa e a usar os espaços da escola para rever matérias durante os intervalos. Muitas vezes, o aluno também procura seu tutor para contar problemas de casa, de relacionamentos com a família e amigos. Quando isso acontece a conversa evolui para o estudante se sinta amparado e possa voltar seu foco para os estudos.

O professor também é assistido pelos coordenadores de área que o acompanham em seu  planejamento, suas aulas, em  reuniões semanais com seus pares;  buscando alternativas e estratégias  para intensificar as boas práticas e melhorar o que não está dando certo. Acredito que os resultados chegam a partir do momento em que a “pedagogia da presença” seja o diferencial na escola; quando o  aluno tem  acesso ao diretor, ao vice-diretor, aos coordenadores, aos professores e entende que pode dialogar de uma forma direta com cada um deles.

Período integral – Em 2013, a escola aderiu ao ensino em tempo integral – período de oito horas e trinta minutos de aulas. Com isso, os alunos recebem, além da base comum do currículo estadual, uma diversidade ampliada de aulas e atividades complementares, que favorecem o aprofundamento em todas as diversas áreas do conhecimento.

A E.E. Carlos Maximiliano Pereira dos Santos foi criada em 24 de abril de 1960, na Vila Madalena, zona oeste da Cidade de São Paulo, considerado um bairro de classe média. Contamos, no entanto, com alunos que vêm de todas as áreas da cidade, inclusive das mais carentes: zona Leste 8%, Zona Sul 7%, Zona Norte 10%, Zona Oeste 15% e Cidades da Grande São Paulo, como: Osasco 10%, Carapicuíba 5%, Embu das artes 20% e Taboão da Serra 15%. São, na maioria, filhos de pais que trabalham na região e procuram uma escola central, para fugir da violência do bairro onde residem. Somente 10% dos alunos moram na Vila Madalena ou Pinheiros, formando um público bastante heterogêneo.

As disciplinas que ampliam o currículo são: Disciplinas Eletivas e Práticas de Ciências (laboratório), e as atividades complementares: Protagonismo Juvenil, Orientação de Estudos (OE) e Projeto de Vida (PV), contando ainda com Tutoria e Clubes Juvenis, para atender os anseios e expectativas dos pais e da família. Nesse programa o aluno é envolvido e exigido em sua capacidade de projetar o próprio caminho, tornando-se o personagem principal na elaboração e execução de seu Projeto de Vida. A Escola conta ainda com o apoio dos Parceiros da Educação na formação de Professores, apoio a Gestão, alimentação saudável dos alunos e outras  melhorias.

Esse foi o caminho encontrado por nossa escola e nossos profissionais para ir ao encontro do que nossos alunos desejam: realizar sonhos e alcançar um futuro melhor.

“ Cuidar mais….. de quem precisa mais….por mais tempo….

Antonio Roberto Prudêncio Ramos

Diretor da EE Carlos Maximiliano Pereira dos Santos, desde 2010

Diretoria de Ensino Região Centro Oeste.”